Nova unidade será voltada para a humanização; espaço começará a ser construído ainda neste semestre no Hospital Estadual

*Clipping

O Liberal – 03/04/2016

Um parto com respeito. Essa será uma realidade no Hospital Estadual Doutor Leandro Franceschini, de Sumaré, que consagrou-se como o primeiro no interior do Estado a possuir um CPN (Centro de Parto Normal) da “Rede Cegonha”, programa do Ministério da Saúde.

Por meio de uma emenda parlamentar do deputado federal Vanderlei Macris (PSDB), a unidade hospitalar receberá R$ 750 mil para a construção da nova área de 250 metros quadrados e que terá cinco quartos individuais – chamados PPP (pré-parto, parto e pós-parto) com banheiras individualizadas.

O Ministério da Saúde aprovou o convênio em dezembro de 2015 e a previsão é de que as obras comecem neste semestre. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, a expectativa é que o centro de parto fique pronto em julho de 2017.

Voltado para a humanização do parto, o espaço contará ainda com bola suíça, banqueta de parto e balanço pélvico. Para aliviar a dor durante o trabalho de parto, serão utilizados recursos como banhos de banheira e chuveiro, massagens e caminhadas.

A expectativa é que 150 a 180 mulheres por mês usufruam do espaço. O centro foi inspirado em experiências positivas desenvolvidas em países como Holanda, França e Inglaterra e permitirá mais de um acompanhante no quarto PPP.

Segundo a coordenadora do projeto, Dulce Zanardi, o diferencial do espaço é a humanização, que possibilitará uma melhor assistência e respeito à gravidez, ao parto e ao pós-parto.

“É a mãe que escolhe a melhor opção para dar à luz, sempre de forma natural, sem uso de medicamentos para o alívio da dor e com a presença dos acompanhantes de sua preferência. A mulher se torna protagonista de sua própria experiência”, ressalta.

Dulce destaca que o centro obstétrico continuará existindo para que possa atender apenas mulheres em que a gestação é considerada de risco. “Vale ressaltar que o Centro de Parto Normal não realiza partos de gestantes de alto risco. Sendo assim, nosso centro obstétrico continuará funcionando normalmente”, esclarece.

Reduzir mortalidade

O objetivo da construção do Centro de Parto Normal, no Hospital Estadual de Sumaré, é reduzir a mortalidade materna e diminuir o número de cesarianas.

Os CPNs (centros de parto normal) foram criados em 1999, pelo Ministério da Saúde, para atender parturientes e recém-nascidos de baixo risco.

De acordo com a pesquisa Nascer no Brasil, 52% dos nascimentos no País ocorrem por meio de cesariana. A recomendação da OMS é de que somente 15% dos partos sejam realizados por meio desse procedimento cirúrgico.

‘Mudar uma cultura é muito desgastante’

A construção do CPN (Centro de Parto Normal) foi comemorada por ativistas do parto humanizado. Após o Hospital Estadual de Sumaré divulgar que as obras começam neste semestre, a informação foi compartilhada nas redes sociais por parteiras urbanas, doulas e mulheres que são engajadas no parto humanizado.

A doula e consultora em aleitamento materno, Silvia Maria Fernandes, acredita que o CPN representa uma conquista para a região.

“O trabalho que temos desenvolvido ao longo desses anos é um trabalho de ‘formiguinha’. Mudar uma cultura instalada, a da cesariana, e devolver o protagonismo do parto a mulher, é um trabalho bem desgastante, mas ao mesmo tempo, motivante. Esse Centro de Parto Normal é uma conquista de todas as mulheres, de todos os profissionais e famílias envolvidas na mudança da assistência ao parto”, ressalta.

Entretanto, a profissional enfatiza que deve ser visto como vitória apenas quando realmente o espaço for inaugurado. “Irei considerar uma vitória quando o CPN sair do papel e for entregue. Ano político sempre me deixa com um pé atrás”, destaca.

Para Silvia, o novo espaço é importante para atender uma demanda cada vez mais crescente na região e até mesmo no cenário nacional.

“Acho de extrema importância, uma vez que o número de mulheres em busca de um parto respeitoso é crescente e, infelizmente, há falta de estrutura, física e de equipes, para atender essa demanda. As equipes existentes no momento, atendem só particular e dessa forma, uma grande fatia fica sem acesso. O SUS é para todos e já estava mais do que na hora disso acontecer”, afirma

Matéria publicada: http://liberal.com.br/cidades/sumare/sumare-tera-centro-de-parto-normal/

*Clipping - Este material não é de autoria da Assessoria do Deputado Federal Vanderlei Macris. São notícias selecionadas que constam a participação do parlamentar.