O deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) apresentou duas ações para que o Ministério da Saúde inclua jornalistas e profissionais de imprensa no grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19. O parlamentar argumenta que o Brasil é o país com maior número de profissionais desta categoria mortos por contaminação pelo Novo Coronavírus.

Macris assina uma Indicação e um Projeto de Lei - PL 1998/2021 - para determinar a inclusão. Ele explica que o PL estabelece maior segurança de que a categoria seja atendida, mas a tramitação é lenta. “Os jornalistas inclusive estão respaldados pelo Decreto Nº 10.288, de 2020, que considera que as atividades e os serviços executados pelo jornalista sejam essenciais, no entanto estes profissionais ficaram de fora da listagem do Ministério da Saúde e os profissionais estão sendo expostos no exercício da função. E o risco é constante”, argumenta.

De acordo com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o Brasil é o país com maior número de profissionais desta categoria mortos pelo Covid-19. Foram 169 entre abril de 2020 e março de 2021.

“Sem uma imprensa atuante, o Estado Democrático de Direito corre risco. Os jornalistas saem de casa e se expõem diariamente a este vírus mortal, não apenas para fornecer à sociedade informações acerca dos cuidados que devem ser adotados para a prevenção da doença, mas também para permitir que as pessoas tenham acesso às estratégias adotadas pelo Poder Público no combate à Pandemia, os seus sucessos, insucessos, e, até mesmo, os desvios porventura cometidos nesse percurso”, considera Macris.

Ao final, o parlamentar menciona que “o exercício seguro do jornalismo é um meio que garante o exercício da cidadania”.