Para valer a prorrogação, os senadores também precisam votar contra o veto. A sessão está marcada para esta tarde

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4) a derrubada do veto da desoneração da folha de pagamentos. Agora à tarde, serão os senadores que votarão sobre a prorrogação de um ano da desoneração.

O deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) é o autor de emenda para a prorrogação da desoneração, atuação elogiada pelo relator da matéria, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), que destacou o empenho no microfone do Plenário. “O deputado Vanderlei Macris, que fez um esforço enorme para que nós prorrogássemos a desoneração por dois anos. Nós conseguimos atendê-lo parcialmente, prorrogando por um ano.”

Com o resultado da votação de hoje na Câmara, Macris comemorou considerando que a medida poderá manter empregos e o poder de compra da população. “Com a prorrogação da desoneração, o país assegura mais de 6 milhões de empregos diretos, mais outros milhões de forma indireta. Os 17 setores da economia não serão tão afetados e essas empresas não terão que aumentar seus custos de produção. Assim, esperamos que os preços aos consumidores se mantenham os mesmos”, destaca.

Foram 430 votos favoráveis à derrubada do veto, 33 contrários e uma abstenção. Caso a desoneração seja aprovada também no Senado, a medida que acabaria em 31 de dezembro de 2020, passa a valer até o fim do ano que vêm.

A votação dos vetos no Senado está marcada para as 16 horas.

Setores

Os 17 setores da economia beneficiados pela prorrogação da desoneração são: calçados, call center, comunicação, confecção/vestuário, construção civil, construção e obras de infraestrutura, couro, fabricação de veículos e carrocerias, máquinas e equipamentos, proteína animal, têxtil, Tecnologia da Informação, Tecnologia da Informação e Comunicação, projetos de circuitos integrados, transporte metroferroviário de passageiros, transporte rodoviário coletivo e transporte rodoviário de cargas.