Deputado Vanderlei Macris comemora resultado, que, segundo ele, protege empregos no setor

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, encaminhou ofício ao deputado Vanderlei Macris nesta terça-feira (10) informando que o pedido de redução tarifária de importação feito pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTex) foi rejeitado. A ABVTex queria taxas mais baratas alegando que Brasil é insuficiente na produção vestuário de fibras sintéticas e artificiais.

“Informo a Vossa Excelência que, por ocasião da 157ª reunião do Comitê Executivo de Gestão (Gecex), o citado pleito foi indeferido”, diz o documento. Assim, a alíquota de impostos de importação referente aos produtos de quatro grupos, sendo jaquetas e casacos masculinos e femininos de fibras sintéticas e artificiais; calças, bermudas e shorts masculinos de fibras sintéticas; e suéteres e pulôveres de fibras sintéticas e artificiais permanece inalterada, em 35%.

“Essa é mais uma vitória que conseguimos para a proteção do emprego e da economia no Brasil. A redução da taxa dos atuais 35% para 20% acarretaria em mais produtos chineses em uma produção que já está em crise”, disse Macris, líder da Frente Parlamentar Mista José Alencar pelo Desenvolvimento da Indústria Têxtil e da Confecção na Câmara dos Deputados. O parlamentar ainda destaca que a demanda da ABVTex não asseguraria menor preço para a população, que pagaria o mesmo valor de um produto brasileiro, aumentando somente o lucro dos importadores.