Associação Brasileira do Varejo Têxtil busca redução de importação alegando que Brasil é insuficiente na produção vestuário de fibras sintéticas e artificiais

O deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) participou nesta terça-feira (19) de audiência com o secretário-geral das Relações Exteriores do Itamaraty, Embaixador Marcos Galvão, para tratar do pedido de redução tarifária de importação feito pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTex). Para Macris, a solicitação é “impertinente”.

Líder da Frente Parlamentar Mista José Alencar pelo Desenvolvimento da Indústria Têxtil e da Confecção, Macris explicou que, em setembro de 2017, a ABVTex protocolou pleito sob alegação de “falta ou insuficiência de produção nacional” para rebaixa do imposto de importação de quatro grupos de produtos, sendo jaquetas e casacos masculinos e femininos de fibras sintéticas e artificiais; calças, bermudas e shorts masculinos de fibras sintéticas; e suéteres e pulôveres de fibras sintéticas e artificiais. A solicitação diminui a taxação dos atuais 35% para 20%, por meio da Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum (Letec).

“Enfrentamos uma enxurrada de produtos importados sem que isso determine a diminuição dos preços para a população, que paga o mesmo valor de um produto nacional, que gera economia para o Brasil e empregos para a população”, argumentou Macris.

Para comprovar a declaração do líder da Frente, o superintendente de Políticas Industriais e Econômicas da Abit, Renato Smirne Jardim, apresentou diversas peças adquiridas em loja filiada à ABVTex, onde os produtos importados custaram o mesmo preço ou mais caro do que os exemplares nacionais. Ainda com as etiquetas, Jardim demonstrou que uma jaqueta feminina de malha custou 64% a mais do que a jaqueta fabricada no Brasil, mesmo tendo sido produzida na China.

Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e da Confecção (Abit), Fernando Pimentel, várias empresas arrecadam um lucro maior com a importação de países que não possuem sistemas legais de proteção ao trabalho e ao meio ambiente. “O que o varejo quer é aumentar ainda mais suas margens em detrimento do emprego e da produção nacional”, disse.

A decisão do Comitê Executivo de Gestão do Comércio Exterior (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) sobre a redução tarifária de importação acontece na próxima quinta-feira, dia 21.

Também participaram da reunião o subsecretário-geral da América Latina e do Caribe, Embaixador Paulo Estivallet de Mesquita; o diretor-executivo da Associação Brasileira de Produtores de Fibras Artificiais e Sintéticas (Abrafas), Eduardo Cintra; e o senador Dalírio Beber (PSDB-SC).