Imprimir
Categoria: Notícias

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (19) emenda do Senado ao Projeto de Lei 8272/2014, que cria o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans). A matéria segue agora à sanção presidencial.

O deputado Vanderlei Macris destacou que o objetivo da proposta é criar um regime que minimize os acidentes e mortes com recursos, metas e responsabilidades definidas. Nesse sentido, e orientando a votação do PSDB, o parlamentar ponderou que o plano tem o foco na articulação com a população e na educação. “Essa é uma iniciativa positiva, até porque reclama e traz a participação da sociedade, particularmente nas metas estabelecidas e, também, no que diz respeito à previsão de realização de campanhas permanentes e públicas informando, esclarecendo e educando a conscientização.”

Dados do Sistema Único de Saúde (SUS) apontam que o Brasil ainda possui indicadores de mortalidade no trânsito muito acima do considerado admissível pelos órgãos responsáveis. A estatística da evolução do índice de mortes indica 20 óbitos por grupo de cem mil habitantes, quando, em outros países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a média de mortos por grupo de cem mil habitantes é de apenas oito.

Álcool e trânsito

Vanderlei Macris ressalta que o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito comunga com a Lei Seca, contra a mistura de bebidas alcoólicas e direção. “As campanhas educativas ampliarão o debate nas famílias, nas escolas, sobre o risco de acidentes e mortes que se potencializam quando tem o álcool envolvido, mas a fiscalização preventiva de trânsito precisa ser intensificada, por ser um instrumento relevante da política de proteção”, alerta.

O deputado foi autor e relator da Comissão Especial sobre as Causas e Consequências do Consumo Abusivo de Bebida Alcoólica, que estudou o assunto na Câmara dos Deputados nos anos de 2011 e 2012.