Entre as medidas estão o combate à judicialização da saúde, a busca por mais atuação do Estado e uma parceria com a Unicamp para atuar no HM

*Clipping

O Liberal – 02/09/2017

Em reunião a portas fechadas autoridades e políticos de Americana debateram nesta sexta-feira, durante cerca de duas horas, no gabinete do prefeito Omar Najar (PMDB), diretrizes para tentar melhorar a situação da saúde no município.

Entre as medidas definidas estão o combate à judicialização da saúde, a busca por mais atuação do Estado, uma parceria com a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) para atuar no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi e o aumento no teto para recebimento de verbas do SUS (Sistema Único de Saúde).

Omar recebeu os deputados estaduais Cauê Macris (PSDB) e Chico Sardelli (PV), o deputado federal Vanderlei Macris (PSDB), o promotor Clóvis Siqueira, o presidente do Conselho de Saúde, Sebastião Campos, o vereador Rafael Macris (PSDB), além de representantes do Judiciário e ainda da Secretaria de Estado da Saúde.

Um dos assuntos mais debatidos foi a questão da judicialização da Saúde. Segundo Omar, no ano passado, a prefeitura gastou R$ 6 milhões com cumprimento de mandados judiciais por remédios, e a intenção é formar uma junta médica com membros do MP e do Judiciário para que os pedidos sejam analisados em conjunto antes da decisão liminar.

“Ninguém quer negar remédio pra ninguém, mas existe essa questão de remédios de alto custo que podem ser substituídos por genéricos que fazem a mesma função”, afirmou Omar.

Estado

Chico e Cauê ficaram responsáveis por buscar maior integração com o Estado. “No passado, Americana tinha capacidade financeira muito forte, então realizava procedimentos que não tem responsabilidade de realizar, e isso nunca foi passado formalmente para o Estado. A primeira definição é que o município vai informar ao Estado o que cada um vai fazer, para que o Estado possa, dentro da regulação da Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde), saber o que é feito na cidade e o que ele tem que absorver”, explicou Cauê.

Vanderlei, por sua vez, receberá um levantamento da Região da Secretaria de Estado da Saúde sobre alternativas para aumentar o teto de recebimento de verbas do SUS, e tentará articular junto ao Ministério da Saúde. Atualmente, segundo ele, a verba mensal é de cerca de R$ 700 mil, valor considerado baixo no cenário existente.

Guerra

Outro item importante da pauta foi a situação do Hospital Municipal, bastante criticada pelo promotor. “Estive recentemente no Hospital Municipal, e eu vi cenas de guerra. Quando você vê o hospital no abandono em que se encontra, há mais de 20 anos, fico me perguntando onde estavam os políticos nesse período todo?”, disse.

Como possível solução, Chico sugeriu também uma parceria com a Unicamp, para que médicos atuem no HM. “Não descarto a possibilidade de uma conversa mais afinada para uma parceria com a Unicamp, embora ainda esteja em sua fase embrionária”, afirmou o deputado estadual sobre o tema nesta sexta-feira, após o encontro.

Matéria publicada: http://liberal.com.br/cidades/americana/em-reuniao-autoridades-tracam-diretrizes-pela-saude-653544/

*Clipping - Este material não é de autoria da Assessoria do Deputado Federal Vanderlei Macris. São notícias selecionadas que constam a participação do parlamentar.