As 32 crianças atendidas pela associação puderam voltar ao local, que ficou fechado entre setembro e parte de outubro por conta de um incêndio

O Liberal – 11/12/2016

A Aequotam (Associação de Assistência e Equoterapia de Americana) conseguiu, no final de novembro, retomar completamente o atendimento que é feito a pessoas com deficiência. As 32 crianças puderam voltar ao local, que ficou fechado entre setembro e parte de outubro por conta de um incêndio que destruiu cinco barracões e diversos equipamentos utilizados na equoterapia e cuidado com os cavalos.

Apesar da retomada, a associação ainda precisa de doações e mão-de-obra voluntária para conseguir restabelecer a estrutura disponível antes do incêndio.

Em outubro, a Aequotam conseguiu retomar parcialmente as atividades, voltando a atender 20 pessoas. Apenas após adquirir, através de doações, mais equipamentos, como selas e mantas especiais, foi possível voltar a atender normalmente, no final do mês passado.

A associação oferece, gratuitamente, a equoterapia a pessoas com deficiências diversas que tenham recebido a indicação médica de realizar a atividade. A equoterapia é o método que busca o desenvolvimento biopsicossocial do indivíduo, estimulando a autoestima, independência, sempre respeitando os limites individuais.

No início de outubro, uma verba de R$ 200 mil foi conseguida pelo deputado federal Vanderlei Macris (PSDB) para a construção de uma nova sede da Aequotam. O recurso deve ser liberado pelo governo federal no ano que vem e seu repasse está condicionado à obtenção de um terreno próprio ou cedido pelo poder público.

Atualmente, a Aequotam funciona em uma área particular arrendada e já negocia com a Prefeitura de Americana uma solução. Até lá, contudo, a associação precisa de ajuda para funcionar, seja na doação de materiais de construção ou dinheiro para os barracões, seja em feno, alimentos ou remédios para os cavalos.

O presidente da associação, Éris Bordignon, contou que após o anúncio da verba federal, as doações diminuíram, já que muitos acreditaram que a situação estava resolvida. Ele estima que, entre equipamentos e materiais para estrutura dos barracões, será preciso cerca de R$ 60 mil.

“Algumas coisas nós já conseguimos. Os atendimentos eram prioritários, mas ainda falta muito. É sempre devagar, não podemos acelerar e nem desesperar. Temos que fazer as coisas de um jeito sustentável para voltar a fazer o que a gente fazia de melhor”, destacou o presidente.

Matéria publicada: http://liberal.com.br/cidades/americana/resiliente-aequotam-retoma-suas-atividades-490108/

*Clipping - Este material não é de autoria da Assessoria do Deputado Federal Vanderlei Macris. São notícias selecionadas que constam a participação do parlamentar.