A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados marcou a data para o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, esclarecer o parecer que motivou a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Por intermédio do deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), o dia escolhido foi 16/04, data seguinte a ida da presidente Graça Foster na comissão para falar do mesmo tema.

Nesta terça-feira (1º), Macris recebeu carta do ex-diretor confirmando o interesse em explicar o fato. O parlamentar informou que o advogado de Cerveró desmente a declaração da presidente Graça Foster de que as cláusulas Marlin e Put Option foram omitidas em parecer feito para avaliar a compra da refinaria em 2006. “O advogado Edson Ribeiro deixou claro que todos os conselheiros [da Petrobras] estavam informados do parecer, que continha todas as informações de Pasadena”, disse Macris.

Audiências

A refinaria de Pasadena, que se localiza no Texas, Estados Unidos, foi comprada pela companhia belga Astra Oil, em 2005, por US$ 42,5 milhões. Um ano depois, a empresa vendeu 50% para a estatal brasileira por US$ 360 milhões. Atualmente, com disputas judiciais, impostos e demais custos, a Petrobras já teve que desembolsar mais de R$ 2,76 bilhões com a refinaria.

Além de Foster e Cerveró, que irão à Câmara nos dias 15/04 e 16/04, respectivamente, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, também irá à comissão no dia 23/04 dar sua versão do caso. Mantega é o atual presidente do Conselho de Administração da Petrobras.

Na época da compra, a presidente do conselho era Dilma Rousseff.