Artigo

O Brasil chegou ou não ao fundo do poço?

Em entrevista à Folha de S.Paulo em 28/06/2015, o economista Armínio Fraga disse que o Brasil ainda não havia chegado lá, apesar do aumento do desemprego, da recessão econômica e alta da inflação. Para o ex-ministro da Educação, Cid Gomes, em janeiro desse ano, a presidente já tinha chegado lá com sua popularidade tão baixa, resultante do seu desgoverno.

De junho para cá muita coisa mudou e para pior. Os índices de desemprego estão maiores, a recessão econômica segue a longos passos e, consequentemente, a inflação subindo.

Na minha opinião, um setor que representa bem a situação do Brasil é o da saúde pública e, por ele pode-se perceber que o nosso País está muito próximo do fundo do poço. Não apenas pelo corte brutal do seu orçamento e a falta de investimentos, mas pela postura desse governo diante da crise econômica e do caos do aumento do número de infectados pelo mosquito Aedes aegypti.

Diariamente, nos meios de comunicação e nas ruas, vemos doentes esperando por atendimento durante horas em imensas filas e pacientes em desespero aguardando internações, jogados nos corredores dos hospitais à própria sorte. Falta estrutura nos hospitais públicos que vão da ausência de lençóis nas camas até medicamentos e descaso de médicos que não aparecem nos plantões.

Enquanto isso, alheia ao sofrimento dos brasileiros, a presidente Dilma permite ao Ministro da Saúde que saia do cargo para votar na permanência do deputado Leonardo Picciani na liderança do PMDB na Câmara dos Deputados. Picciani é reconhecidamente parceiro da presidente e poderá ajudá-la favoravelmente no processo do impeachment.

Essa é mais uma comprovação de que a presidente não está nem um pouco preocupada com a população, mas somente com o próprio umbigo. Ela promoveu um falso mutirão de ministros pelo País por conta da Dengue, Zika e Chikungunya, mas nem o mosquito deve ter se convencido de que toda a encenação seria para exterminá-lo.

Todos nós esperamos menos discursos, menos encenações e mais ações. Por que não colocar em prática e de forma emergencial medidas efetivas para melhorar o saneamento básico? Essas doenças são consequências do descaso de 13 anos de governos petistas, que preferem meter a mão no bolso dos contribuintes, não atualizando a tabela de correção do Imposto de Renda e pressionando pelo retorno da CPMF ao invés de promover a tão prometida reforma administrativa.

Concordo com o comentarista Alexandre Garcia da TV Globo. “Investir em saneamento básico é economizar em saúde e combater doenças e mosquitos. O mosquito e a falta de rede básica para quatro em cada dez brasileiros mostram o tamanho de nosso atraso em algo que, como diz o nome, é básico. Básico para a saúde”.  É isso que vou continuar cobrando desse governo federal.

_______________

Publicado:

- Portal Ternura - http://www.portalternurafm.com.br/colunistas/1343/o-descaso-da-presidente-com-os-brasileiros

- PSDB na Câmara - http://www.psdbnacamara.com.br/wordpress/?p=148383